sábado, 28 de maio de 2011

A conta da lua-de-mel

Já dizia Milton Friedman, economista americano da famigerada Escola de Chicago, prêmio Nobel de economia em 1976 e inspirador da política econômica do ditador chileno Augusto Pinochet: “Não existe almoço grátis”. Eis que, assim, está sendo apresentada à presidenta Dilma Roussef a conta do idílio que, ao que se sabe, acreditou que poderia manter com a elite.....

Código Florestal, a luta entre a razão e a morte




O debate ambiental no Brasil é dominado hoje por supostos porta-vozes do “bom senso”, inimigos de posições “radicais”. Mas essas pessoas estão propa-gando a irracionalidade, não a verdade. Isso precisa ser dito assim, em alto e bom tom. São produtores de irracionalidade e de morte.

Marco Aurélio Weissheimer

O debate em torno da proposta de mudança do Código Florestal expôs, mais uma vez, a gigantesca ignorância de lideranças políticas e econômicas de nossa sociedade que se consideram seres racionais e esclarecidos. Essa ignorância, como se viu, espalha-se por boa parte do espectro político com ramificações à direita e à esquerda.....


Faltam pouco para a Convenção do PSDB que decidirá o futuro político de José Serra.
A disposição de setores majoritários do tucanato é de sepultar a figura do grande desagregador, hoje identificado amplamente como responsável pela implosão do partido já durante a campanha de 2010, o que explica em parte a letargia tucana na longa convalescência pós-eleitoral....

As Regras da Desinformação: Vinte e Cinco Maneiras de Suprimir a Verdade

Construído em cima das " Treze Técnicas para Suprimir a Verdade" de David Martin, a lista que se segue pode ser útil para o iniciado no mundo de verdades veladas e meias verdades, mentiras e supressão da verdade, que acontecem quando crimes graves são discutidos em fóruns públicos. Isto, infelizmente, inclui todos os meios de comunicação de hoje em dia, que são as maiores fontes de desinformação.....

Política: profissão ou vocação?


Dilma Rousseff não foi a única presidente, desde a redemocratização, que resolveu terceirizar a atividade política, na suposição de que tem gente que sabe fazer isso melhor do que ela. Assumiu que o perfil técnico era a sua vocação, definiu que tem a última palavra sobre as decisões administrativas e foi cativada pelo "elogio" dos antigos adversários à sua discrição no cargo....

Ana Maria dá receita sobre comportamento sexual

TIRA DO DIA


blog ABC do amor

Para olhar o caso Palocci




Para cada um de nós, ao analisarmos a crise política que se formou em torno deste episódio envolvendo o Ministro Antonio Palocci, importam, e muito, os aspectos éticos que possam merecer qualquer tipo de condenação moral de nossa parte.
Mas, para a dinâmica do processo político isso é absolutamente secundário. Cada fato, detalhe ou suspeita serve essencialmente como combustível para que uma máquina de interesses entre em movimento, avance e alcance o máximo de seus objetivos.
E isso é fácil de provar, como a um teorema.....

A discriminação do senso crítico




OTÁVIO FRIAS FILHO - Há 20 anos atrás, falar mal dele era 
coisa de gente "revoltada demais" com a vida.
Desde os anos 90, ter senso crítico virou alvo de autêntico preconceito. Se alguém expressava uma opinião crítica sobre determinado assunto, que ia contra a visão oficial que se tinha do mesmo, era visto como alguém "revoltado demais", que vivia "de mal com a vida", era "rancoroso" e por isso era tido como "anti-social" e outros adjetivos mais mórbidos.
Isso agia em preocupante contradição com o que ocorria nos primeiros quatro anos do regime militar. Pois afinal, se, lá pelos idos de 1965, quando os generais que comandavam a República afirmaram que vieram para ficar, o senso crítico ainda era uma atividade comum na sociedade, enquanto, nos anos 90 eminentemente democráticos, ter uma opinião crítica não passava de uma frustração de revoltados, é sinal de que alguma coisa está errada.....

Amigos amigos, negócios à parte

Certa vez lendo um artigo de Leonardo Boff ele comentava a diferença de uma empresa privada e uma estatal e destacava que a estatal não é criada para dar lucro. A empresa estatal tem uma tarefa a cumprir em prol do interesse nacional, se der lucro ótimo. Já a empresa privada, existe em função do lucro. Se este não ocorrer depois de um certo tempo ela é considerada inviável e simplesmente fecha.
Isto considerado nos mostra o papel importante do Estado como indutor do desenvolvimento econômico e do bem estar social estabilizando os desequilíbrios das crises, controlando os desatinos das ganâncias.  Um papel que não poder ser diminuído como defendem os neoliberais e que foi indispensável ao Brasil na superação da crise de 2008/2009.....

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Frase de sexta....

“Não faço as coisas para aparecer, eu apareço porque fiz as coisas”
                                                                                                      Escritora, letrista, vocalista, blogueira, iconoclasta e polemista Clara Averbuck.

Charge do Bessinha

Dilma manda recado ao PMDB: “Não tem dois governos. Tem um


“O governo tem uma posição, espero que a base siga a posição do governo. Não tem dois governos, tem um governo”, disse a presidenta. 
 
Dilma, que durante a campanha prometeu não apoiar projetos que eventualmente anistiassem desmatadores, lembrou que tem a prerrogativa de vetar propostas que considera “prejudiciais” ao país, mas fez um apelo para que haja entendimento entre as lideranças no Congresso......

O capitalismo não é mais aquele, mas ainda não é outro


1) A grande crise mundial está entrando numa nova fase. De um lado, porque a economia está caminhando por pedras adversas e, de outro, porque agora, após a pólvora da crise financeira americana e européia, temos o fósforo aceso da crise fiscal, se espalhando por todo o conjunto Estados Unidos-Europa. Vendo as imagens contundentes da “revolução espanhola” da semana passada, a gente percebe que elas se juntam àquelas das populações da Grécia, de Portugal, da Islândia, da Irlanda – não citando Itália e França – que revelam tristes pontos de desespero e de revolta na realidade presente. A desfaçatez da fração de classe do capital financeiro é absoluta, pois suas instituições financeiras quebraram e foram salvas em detrimento do capital produtivo e dos assalariados. E depois de salvos, passaram a atirar contra o Estado e contra as conquistas sociais. E a coisa nesse nível é muito complicada, as práticas do capital financeiro são vorazes, predatórias e corruptoras e tentam, de todo o jeito, vender a mercadoria do neoliberalismo para resolver a multidão de crises, inclusive a crise política da decadência americana.....

Empresa da filha do José Serra cresceu 50.000 vezes em apenas 42 dias


A imprensa brasileira que divulgou o dossiê Palocci, noticiando que seu patrimônio aumentou 20 vezes em 4 anos, o que dirá do aumento vertiginoso de 50.000 vezes da empresa da filha de José Serra (PSDB/SP) em 42 dias? ... Leia mais aqui.

UM DIA O SEXO ACABA.








bicho maluco beleza

Kátia Abreu é mais confiável que o MST, deputado Aldo?


Aldo Rebelo tem acusado as ONGs estrangeiras, que defendem o imperialismo americano, por tentar desmoralizar seu relatório que seria o suprassumo do nacionalismo.
Taí um texto do deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) que é ligado a uma grande ONG, o MST.
O deputado Aldo acha que o MST faz o jogo dos Yankes? Seria o MST um movimento infiltrado no país para atacar os verdadeiros nacionalistas? Kátia Abreu é mais confiável que o MST?
Segue o texto de Valmir Assunção:
Ao assumir meu primeiro mandato como deputado federal, cheguei com um compromisso bem definido: defender a reforma agrária, tal como possibilitar mecanismos de incentivo à agricultura familiar e camponesa, fortalecendo os movimentos sociais do campo e da cidade.
Meus compromissos também incluem a luta pelo desenvolvimento social e combate à fome, a defesa do conjunto dos direitos humanos, promoção da igualdade racial e de políticas para a juventude.
Compreendo que um deputado federal, como extensão das lutas que acontecem nas ruas do nosso Brasil, deve manter a coerência e o lado pelo qual foi designado a estar num espaço, como é a Câmara dos Deputados.
Inicio este texto lembrando estas questões, por que são justamente elas que me fizeram votar não ao relatório do deputado Aldo Rebelo na noite deste dia 24 de maio.....

Como colocar a notícia no pau-de-arara

Aqui um bom exemplo de como a velha mídia cria escândalos totalmente sem discernimento, na velha prática de "o que vier eu chuto".

1. O Estadão levanta que Palocci deu palestras ao Banco Santander, como se um ex-Ministro da Fazenda cometesse irregularidades dando palestras. Se tem algo legítimo na assessoria do Palocci, foi justamente o exercício de dar palestras.
2. Meramente dar palestras não significa nada. Na cobertura policial, a um favor deve corresponder uma contrapartida. E a reportagem investigativa atual trata os meandros do mercado financeiro com a sutileza de um carcereiro colocando a notícia no pau-de-arara.
O repórter sai a campo e descobre (!) que o banco, um dos maiores do país, "é parceiro do governo federal".
Primeira prova: comprou seis jatos da Embraer financiados pelo BNDES.
Segunda prova: é parceiro da Petrobras em um programa para facilitar oferta de crédito a fornecedores.
Terceira prova: o presidente do Santander (um dos maiores bancos do mundo e no Brasil) foi recebido por Lula em 2009 no Palácio do Planalto.
Dá para levar a sério?
By: Nassif
Vi no Esquerdopata, e eu no Com textolivre

De Malaquias à Malafaia e o exemplo da Irlanda


Homossexualidade não é uma doença, doentes são os homofóbicos! 
Não aceite condutas homofóbicas
Campanha da Irlanda
Um exemplo para o Brasil!
"La homofobia contribuye a reforzar la frágil heterosexualidad de muchos hombres"
Elizabeth Badinter (1944 -¿?) Catedrática y discípula de Simone de Beauvoir
Enquanto tivermos Malafaias e Bolsonaros espalhados pelo Brasil não evoluiremos!
Se utilizam da bíblia como instrumento de ódio como se ali contivesse toda a verdade.
Para eles a bíblia é o kit-homofobia!
Bolsonaro como Senador deveria investigar os dízimos e propor modificação na Lei para que as instituições religiosas, que não passam de uma empresa como outra qualquer, que contribuíssem com o país, ao invés dele apenas tirar!
Por que recebem isenção de impostos em seus templos, escolas e universidades, interferem na mente das pessoas e nas suas escolhas espirituais se impondo, abusiva e diariamente nas emissoras de tvs, que são sublocadas ilegalmente sendo concessões públicas?
Por que temos, com nossos impostos, que pagar a manutenção e restauração de seus templos, enquanto enriquecem com os dízimos pedidos em troca de um pedacinho do céu ou doações de R$ 900.00 inclusive em libras, dólares...como faz Malafaia?
assista também:
Malafaia: pode ser cheque ou cartão
Malafaia pede 1 aluguel de dízimo mesmo de quem não tem casa para morar e transforma a *semente em dinheiro
assista também:
O que é crime: ser homossexual ou roubar a Deus ou aos "inocentes, aos puros de coração"? O que diz a bíblia sobre isto, defensores da fé?
*De MALAQUIAS à malafaia
By: SOA-Brasil, via Com textolivre

13 verdades....


1) O amor não é aquilo que te pega de surpresa e te deixa totalmente sem ar. O nome disso é asma.

2) O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez.
 
3) O amor não torna as pessoas mais bonitas. O nome disso é álcool. 


4) Se beber fosse pecado, Jesus teria transformado água em Fanta Uva !
  
5) Se você não quer ouvir reclamações, trabalhe no Serviço de Atendimento ao Cliente de alguma empresa fabricante de paraquedas.
  
6) Todo mundo comete erros. O truque é cometê-los quando ninguém está olhando.
   
7) As melhores crianças do mundo são as japonesas. Estão a 20 mil quilômetros de distância e quando estão acordadas eu estou dormindo.
  
8) Se acupuntura adiantasse, porco-espinho viveria para sempre.
  
9) Calorias são pequenos vermes inescrupulosos que vivem nos guarda-roupas, e que a noite ficam costurando e apertando as roupas das pessoas.
  
10) Se você se lembra de quantas bebeu ontem, então você não bebeu o bastante.
  
11) Quando sua mulher fica grávida, todos alisam a barriga dela e dizem "parabéns". Mas ninguém apalpa seu saco e diz "bom trabalho".
 

12) Cerveja sem álcool é igual travesti: a aparência é igual, mas o conteúdo é bem diferente!
  
13) Se vegetarianos amam tanto assim os animais, por que eles comem toda comida dos pobrezinhos?
sad but true

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Nobel da Paz vem ao Brasil partilhar experiência com microcrédito




Presidenta Dilma Rousseff recebe o professor Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz em 2006. 
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Prêmio Nobel da Paz por sua contribuição ao combate à pobreza, o economista Muhammad Yunus foi recebido pela presidenta Dilma Rousseff na tarde desta quarta-feira (25/5) no Palácio do Planalto. O economista veio ao país partilhar experiência e conhecer a política de transferência de renda e microcrédito do Brasil.
No encontro com a presidenta Dilma, ele colocou à disposição dos brasileiros a metodologia e tecnologia utilizada no programa de microcrédito que ele desenvolveu em Bangladesh, seu país de origem, e defendeu a inclusão digital como uma das alternativas para erradicação da pobreza extrema e promoção de políticas públicas inclusivas.
Yunus foi reconhecido mundialmente por sua experiência com o Grameen Bank, que oferece ativamente microcrédito para milhões de famílias bengalesas. Ele criou, ainda, o conceito de empresa social, que obtém rendimentos com seus produtos e serviços mas não paga dividendos aos acionistas e não visa o maior lucro possível, como fazem as empresas convencionais. As empresas sociais dedicam-se à criação de produtos e serviços que beneficiem a população, combatendo problemas sociais como a pobreza e a poluição ou melhorando o sistema de saúde e a educação.
By: Com textolivre

A Kombi foi Vendida!!!




Eles compraram um Novo Uno!

Avaliação Negativa do Presidente Lula caiu de 5% para 3% (Clique Aqui!)
Sabe como é... Mais 2% pularam fora da Kombi e, devido ao aumento de espaço interno, e a diminuição do calor humano, a Kombi foi vendida! Consumia muito para transportar pouca gente... O UNO ainda não foi adesivado... Do jeito que a coisa está indo, eles já estão pensando em vendê-lo e comprar uma Romiseta.

Foto da Romiseta que eles estão de olho...
by: O Cachete

Rapidinha de quinta-feira...

No início, Deus criou a Terra e descansou.

Depois Deus criou o Homem e descansou.

Então Deus criou a Mulher.

Desde então, nem Deus nem o Homem descansam mais

vi no, Fábulas

Centrais pressionam para votar emenda das 40 horas


Os deputados Marco Maia (de barba) e Paulinho da Força no ato pelas 40 h
Foi muito positivo o ato exigindo a votação da Proposta de Emenda Constitucional 231/95, que reduz a jornada de trabalho, hoje à tarde, no Salão Negro do Congresso Nacional. Mais de 500 sindicalistas, dirigentes das centrais de todo o país se reuniram com deputados e com o presidente da Câmara, o deputado Marco Maia (PT-RS), para pedir que se vote a diminuição  da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem alteração de salário.
Maia disse que instalará uma câmara de negociação para tentar um acordo e acelerar a votação. Eu, ao contrário, acho é que temos de votar, porque acho que esta câmara pode significar mais uma forma para postergar e adiar essa reivindicação do conjunto dos trabalhadores brasileiros. Ainda mais porque as próprias centrais sindicais admitem que a mudança pode ser progressiva.
A PEC já passou por todas as comissões permanentes da Câmara, a questão agora é mais política do que burocrática. E se é política,  a mobilização dos trabalhadores será incisiva daqui pra frente, para  que aconteça o que Maia garantiu, durante o ato: o projeto entrar na pauta do plenário ainda este ano.
tijolaço.com

Sala de aula brasileira é mais indisciplinada que a média, diz estudo

As salas de aula brasileiras são mais indisciplinadas do que a média de outros países avaliados em um estudo do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, na sigla em inglês).

Pesquisa foi realizada entre estudantes de 15 anos
O estudo, feito com dados de 2009 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), aponta que, no Brasil, 67% dos alunos entrevistados disseram que seus professores "nunca ou quase nunca" têm de esperar um longo período até que a classe se acalme para dar prosseguimento à aula.....

A CPI DO BRONZEAMENTO ARTIFICIAL

.

No dia em que a oposição brasileira aprender a fazer política, os "blogs sujos" aprenderão a respeitá-la.

Antes de tudo, pra quem pegou o bonde andando, o termo "blog sujo" foi cunhado pelo indefectível J. Serra, em seus delirius campagnis, quando não aceitava que ninguém falasse mal dele. Dizia que a blogsfera era financiada pelo Lula. Pois sim!

Mas vamos lá. Com seu olhar certeiro, o Macaco Simão nos fez rir em sua coluna diária veiculada hoje pela Folha e pela BandNews. Veja um trecho:...

A Praga

Um índio, que até então nem sabia que era índio, estendeu a mão e ofereceu a Cristóvão Colombo um tomate.
- Um pomo d’oro! - exclamou o almirante, confundindo o fruto que brilhava ao sol da nova América com uma maçã selvagem. Depois examinou o fruto mais de perto e perguntou:
- Para o que serve?
- Saladas - respondeu o índio. - Refogados. Molhos.
- Para o espaguete! - exclamou Colombo, compreendendo por que o destino o trouxera até ali. Lembrando que seu nono, em Gênova, vivia elogiando Marco Polo por ter trazido o espaguete do Oriente e sua nona vivia dizendo que sim, o espaguete era bom, mas faltava alguma coisa. Sua missão estava revelada: numa só viagem, superara o Marco Polo do nono e descobrira o que faltava na macarronada da nona. Ficou com o tomate.
- O que você me dá em troca? - quis saber o índio.
Não se sabe que língua falavam. A linguagem mágica dos grandes encontros. Não interessa.
- Dou em troca um dos produtos supremos de nossa civilização. Uma preciosidade. Um dos frutos da indústria que breve chegará aqui e transformará este mato em outra Europa.
E Colombo deu uma miçanga ao índio.
Colombo perguntou que outra novidade o índio tinha para lhe dar. E o índio ofereceu uma batata.
- O que faremos com isto? - perguntou Colombo, olhando a feia batata com pouco entusiasmo.
O índio descreveu o futuro da batata, desde a sua importância na alimentação dos camponeses europeus em fomes ainda por vir até a “noisette” e as fritas. E Colombo botou a batata na algibeira e deu em troca uma moedinha de valor tão baixo, que em vez da cara mostra o joelho do rei.
- O que mais o índio tinha para lhe dar?
O fruto do cacaueiro, de onde sairia o chocolate. O índio descreveu o significado do chocolate para a história do mundo, especialmente da Suíça e da Bahia, e como seriam os bombons, e as barras recheadas com avelãs, e suspeita-se que tenha mencionado até a mousse. E Colombo trocou o cacau por um espelhinho. -
- Que mais?
- Fumo!
Em breve, todos estariam experimentando as delícias do tabaco e o novo hábito dominaria o mundo. E para quem quisesse um barato ainda maior, o índio incluía a planta da coca junto com a planta do fumo em troca das contas que Colombo lhe oferecia.
- Que mais?
- Milho. Aipim. Um papagaio.
- E isso que você tem no nariz? - perguntou Colombo, apontando para a argola de ouro.
- O que você me dá em troca?
Colombo ofereceu mais miçangas, que o índio não quis. Outra moedinha. Comprimidos. Vale transporte. Finalmente apontou sua pistola para a cabeça do índio e disse “Isto”. E disparou. Depois deu ordens a seus homens para recolher todo o ouro à vista, mesmo que tivessem que trazer os narizes juntos.
Do chão, antes de morrer, o índio amaldiçoou Colombo e praguejou.
- Que a batata tornasse a sua raça obesa, que o chocolate enchesse as suas artérias de colesterol, que o fumo lhe desse câncer, que a cocaína o enlouquecesse e que o ouro destruísse a sua alma. E que o tomate - pediu o índio aos céus, com seu último suspiro - se transformasse em ketchup e molho enlatado sem graça que estragasse o espaguete para todo o sempre.
E assim aconteceu.
Luís Fernando Veríssimo