sábado, 24 de julho de 2010

Até 3 de outubro...vira Tsunami!!!!!


13.08 e 13.09 vista-se de vermelho

E agora, ainda vão querer segurar a Dilma? - Não deu no JN

 Vai ser difícil o Datafolha fazer alguma manobra nos números para arrancar mais um empate técnico depois que o Vox Populi apontou hoje Dilma com oito pontos de vantagem sobre Serra. Além de abrir distância, Dilma derrota Serra em praticamente todos os quesitos, e mesmo onde o tucano está à frente a diferença é mínima.
Mesmo na região Sul, onde o Datafolha já fez o milagre de fazer Serra subir dez pontos de uma pesquisa para a outra, Dilma encostou e tem 35% das intenções de voto, contra 39% de Serra. Considerando a margem de erro de 1,8 ponto, a situação é praticamente de empate técnico. No Sudeste já não existe mais diferença, e no Nordeste a vantagem pró-Dilma é de 30 pontos percentuais (54% a 24%).
Dilma lidera entre os homens, entre as mulheres, em todos os níveis de ensino e faixas salariais, à exceção dos que ganham mais de cinco salários mínimos, onde se registra empate técnico (Serra tem 37% e Dilma, 36%).
Dilma tem rejeição bem menor (17%) do que Serra (24%) e mais eleitorado a conquistar, já que Lula recebeu 4% dos votos e o candidato indicado por ele, 1%. Segundo a pesquisa, Dilma não é identificada como candidata de Lula por 18% dos entrevistados.
Ficou impossível esconder a escalada de Dilma rumo à vitória no primeiro turno e os institutos de pesquisa que ainda tentavam ocultar isso terão que se render, a não ser que se exponham ao ridículo e percam definitivamente o pouco que ainda lhes resta de credibilidade.

Depois da pesquisa Vox populi, vem ai....


Oni presente, via Com textolivre

" Desculpem a nossa Folha, digo, falha..."



Serra está tão atordoado que anda precisando de ajuda da imprensa para corrigir as bobagens que ele diz. Em entrevista ao programa 3 a 1, da TV Brasil, ele afirmou que num torneio de más companhias, “a candidata do governo perde disparado”. Falou a verdade: as suas companhias são muito piores e ele ganharia disparado o tal torneio.
Mas ao tratar do assunto, a Folha de S.Paulo  deu uma ajudinha ao seu candidato em três parágrafos que são o samba do crioulo doido, como dizia o Stanislaw Ponte Preta. No primeiro parágrafo da matéria, generosamente intitulada “Serra se confunde ao atacar Dilma na TV”, a Folha escreve que o candidato tucano disse que sua adversária Dilma Rousseff (PT) venceria “disparado” um torneio de “más companhias”.
No parágrafo seguinte, porém, ao transcrever a declaração de Serra, lê-se o contrário. Serra afirma, e pode ser ouvido no vídeo, que “num torneio, a candidata do governo perde disparado em matéria de más companhias”.
Mas não satisfeita em ouvir o que Serra disse, a Folha o corrigiu: “Apesar de ter se confundido ao dizer a frase, Serra queria acusar Dilma de ser vencedora do torneio.”
O que seria do Serra se não fosse a Folha.
By: Sátiro, via Com textolivre

José Serra, candidato do PT à Presidência

Quem diz isso é o PSDB.
Veja a reprodução do site tucano:

Os corvos olímpicos

Por Emir Sader, no site da Carta Maior. 

Tem gente que não gosta do Brasil. “O problema do Brasil é que já foi descoberto por estrangeiros”, dizia um parlamentar da ditadura, pilhado pelo Febeapá do Stanislaw Ponte Preta. O avô de um coordenador da campanha do candidato tucano-demista, Juracy Magalhães, primeiro Ministro de Relações Exteriores da ditadura, disse: “O que é bom para os Estados Unidos é bom para o Brasil”. Collor gostava de denegrir a indústria brasileira, FHC de dizer que os brasileiros são “preguiçosos”.

Manual do mentiroso

Passo a passo, aprenda a construir mentiras.
By Folha de São Paulo.

Lição #1 - Antes de mais nada, escolha o alvo. A FSP recomenda que seja, de preferência, o Presidente Lula. 

Lição #2 - Pesquise um assunto que possa criar dúvidas na mente do leitor.

Lição #3 - Invente um título, uma "chamada", que atraia o leitor e, ao mesmo tempo, coloque dúvidas em sua cabeça. A imensa maioria dos leitores de jornal lê, apenas, a manchete. Porisso, dê ênfase à mentira. 

Lição #4 - O texto correspondente ao título deve ser mais contido. A explanação da mentira precisa ser controlada sob pena de perda de credibilidade.

Lição #5 - Caso use números, prefira aqueles que possam ser usados a seu favor. Números contrários a seus ideais podem ser mencionados, mas com pouco destaque para não "derrubar" a mentira.

Lição #6 - Se perceberem a "barriga", defenda-se dizendo que foi erro de digitação.

***

A Folha de São Paulo não tem jeito.
Mesmo depois de reafirmar sua independência editorial - clique aqui para ler oEMBROMATION DA FOLHA - o jornal não perde a linha mentirosa de ação.

Repare nas imagens abaixo, colhidas da edição eletrônica do portal UOL, de propriedade da FSP.
Ambas foram printadas na data de hoje, 23 de Julho.

As duas associam o ex-Presidente Collor a Lula. A manchete de uma mente ao atribuir "maioria". A outra, afirma que 23% dos alagoanos acreditam que Collor é o candidato de Lula.

A mentira consiste em afirmar que 23% é maioria.
Foi o que afirmou a colunista Mônica Bergamo. Entretanto, ao ler a matéria, o texto não repete a palavra "maioria" e diz, inclusive, que 17% dos mesmos alagoanos acreditam que Lula é o candidato preferido de Teotônio Vilella Filho, candidato da oposição.

Como se percebe, a maneira intencional de provocar dúvidas na mente do leitor seguiu à risca o Manual do Mentiroso da Folha.

Repare na imagem abaixo: 23% acham que Collor é o candidato de Lula.
(Clique na imagem para ampliar).


Agora vejam esta outra imagem, que afirma que Maioria dos alagoanos acredita que Collor é o candidato de Lula.
(Clique na imagem para ampliar).

Agora, cada um que tire suas próprias conclusões.
sandálias do pirata

Tunnel Of Love - Dire Straits (HQ Audio)

Gostar não basta

Há séculos já se sabe que o silêncio é a maior das necessidades; por isso as pessoas fogem do mundo, achando que é impossível ficar em silêncio no mundo.

Essa é uma conclusão absolutamente errada, uma lógica errada, porque o silêncio nada tem a ver com o mundo exterior. Ele é uma coisa interior. Você pode cultivá-lo em qualquer lugar.

Você pode ir à montanha, mas sua mente será a mesma — você vai jogar os mesmos jogos, porque não vai ter outra coisa para fazer, e toda a energia estará disponível para a mente.

Nos mosteiros, nos desertos, nas montanhas, a mente se torna ainda mais dominante que numa feira livre, no dia-a-dia. 

Há pessoas que gostariam de ficar em silêncio, mas gostar não basta. É necessário amar. Gostar é morno, é mais ou menos. Amar significa envolver-se apaixonadamente. Amar significa que é uma questão de vida ou morte. O amor significa intensidade, totalidade.

E as grandes dádivas da vida são somente para as pessoas que estão dispostas a entrar totalmente em algo, seja ele o silêncio, a liberdade, a verdade — não importa o quê. Todos os valores supremos exigem que você ame.

Osho, em "Meditações Para o Dia"
Palavras de Oslo

A Dream within a Dream - Alan Parsons Project

Relatividade dos adêvogados

Um advogado dirigia distraído quando num sinal de PARE passa sem parar, mesmo em frente a uma viatura do BOPE.
Ao ser mandado parar, toma uma atitude de espertalhão.
Policial: - Boa tarde. Documento do carro e habilitação.
Advogado: - Mas por que, policial?
Policial: - Não parou no sinal de PARE ali atrás.
Advogado: - Eu diminuí? e como não vinha ninguém...rs
Policial: - Exato.. Documentos do carro e habilitação.
Advogado: - Você sabe qual é a diferença jurídica entre diminuir e parar?
Policial: - A diferença é que a lei diz que num sinal de PARE, deve parar completamente. Documento e habilitação.
Advogado: - Ou não policial, eu sou Advogado e sei de suas limitações na interpretação de texto de lei, proponho-lhe o seguinte: Se você conseguir me explicar a diferença legal entre diminuir e parar eu lhe dou os documentos e você pode me multar. Senão, vou embora sem multa.
Policial: - Positivo, aceito. Pode fazer o favor de sair do veículo Sr. Advogado?
O Advogado desce e então os integrantes do BOPE baixam o cacete, pancada pra tudo quanto é lado, tapa, botinada, cassetete, cotovelada, etc.
O Advogado grita por socorro, e implora para pararem pelo amor de DEUS.
E o Policial pergunta: 
- Quer que a gente PARE ou DIMINUA? 
Advogado: - PARE!... PARE!... PARE!...
Policial: - Positivo... Documento e habilitação.
Pequi bão

Despedida do PASTOR

Colaboração do opinião do cidadão ubatubano


O Pastor no jantar de despedida pelos 25 anos de trabalho ininterrupto à frente de uma Igreja discursa: 

- A primeira impressão que tive da Igreja, foi com o primeiro testemunho que ouvi em ninha sala reservada. 

A pessoa testemunhou ter roubado um aparelho de TV, dinheiro dos seus pais, e também roubado a Câmara e Prefeitura onde trabalha, além de ter aventuras amorosas com a esposas dos secretários. 
Também se dedicava ao tráfico de drogas, roubo de motos em São Paulo onde morava e havia transmitido uma doença venérea à própria irmã. 
Fiquei assustadíssimo. Com o passar do tempo, entretanto, conheci uma Igreja cheia de gente responsável, com valores, comprometida com sua fé, e desta maneira tenho vivido os 25 anos mais maravilhosos do meu pastoral.

Chega o prefeito para entregar o presente da comunidade, prestando a homenagem ao pastor. 
Ele pede desculpas pelo atraso e começa o discurso: 

- Nunca vou esquecer do dia em que o pastor chegou à nossa paróquia. 
Como poderia? Tive a honra de ser o primeiro a prestar o testemunho ao pastor em sua sala. 

Silêncio total...  
 

Moral da históriaNunca se atrase! 
 

FHC e o Príncipe das Trevas

“Talvez o epitáfio de Fernando Henrique devesse ser ‘Príncipe das Trevas’, uma amarga ironia para quem se queria o autor do renascimento brasileiro e que algum dia foi chamado por Glauber Rocha de ‘príncipe dos sociólogos’”


Tentando formular algumas características do atual momento político brasileiro, repasso alguns textos de Chico de Oliveira, publicados em A era da indeterminação (São Paulo, Boitempo, 2007), precisamente quando ele diz que um dos mais instigantes paradoxos da situação brasileira é que a participação da cidadania na política aumentou extraordinariamente no Brasil nos últimos 50 anos, principalmente pela ampliação do colégio eleitoral e diversificação da “oferta política”. O voto obrigatório contribuiu muito para romper o coronelismo, até em locais secularmente oligárquicos, incluindo-se o exponencial crescimento do associativismo civil. Mas é nessas condições extremamente favoráveis que ocorre a perda da representatividade. 

Lula diz que Serra "não passa sinceridade nos olhos" ao ligar o PT às Farc

Simone Iglesias, Folha.com

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje o candidato tucano à sucessão, José Serra, por tentar ligar o PT e sua adversária, Dilma Rousseff, as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Lula disse que as declarações de Serra são uma "bobagem" e que "lamenta" a atitude do ex-governador. Segundo Lula, o tucano sabe que suas afirmações não são verdadeiras.

"Toda vez que uma pessoa fala o que não acredita, não passa sinceridade nos olhos. As pessoas precisam aprender que a gente fala não pelos lábios, mas pelos olhos. E quem tiver mentindo vai aparecer", disse em entrevista depois de evento do MEC em sua cidade natal, Caetés, momentos antes de ir para ato de campanha com Dilma em Garanhuns.

O presidente disse que ninguém é obrigado a gostar do PT, mas que isso não pode servir de justificativa para inventar coisas a respeito do partido.

"Achar que o PT teria ligação com as Farc é não conhecer sequer a história do Foro de São Paulo que coordenamos por mais de dez anos (...) Lamento que um homem que tem o passado que Serra tem e que muitas vezes foi vítima de mentiras e leviandades esteja utilizando instrumentos dos quais foi vítima para atacar o PT", disse Lula.”

A degradação moral de um tucano


A degradação moral de José Serra é um fato chocante. O candidato que era apresentado como o melhor que o PSDB poderia ter, como experiente e capaz de fazer um bom governo e com posições políticas que até o aproximariam da esquerda, revela-se a cada fato do atual processo eleitoral um homem desprovido de pudores em disseminar o que de pior a política pode ter: as mentiras, o jogo rasteiro e a falta de ética.

Já escrevi aqui que de Serra não resta nada do que foi no passado. O tucano despreza valores que todo homem de bem deve ter, independente de suas profissões e atividades. Com isso desperta tristeza a até piedade de quem já esteve a seu lado em certas lutas políticas.

Fernando Pimentel responde ao terrorista Serra

Nota à Imprensa

Repudio com veemência as declarações do candidato à presidência, José Serra, concedidas à imprensa ontem, 22, as quais fazem referências ao meu nome como articulador de uma operação inexistente e a qual repilo com a convicção dos meus 40 anos de trajetória política.

Lamento que a oposição encontre discurso eleitoral apenas em acusações infundadas e ilações morais contra membros do PT. Há dias, o candidato da oposição tem demonstrado desequilíbrio ao disparar insinuações caluniosas e ultrapassar os limites da responsabilidade de quem se declara um homem público experiente e preocupado com as questões maiores do Brasil. As declarações são falsas e caluniosas, compatíveis apenas com o desespero dos que não se conformam com o fato de que o Brasil mudou para melhor nos últimos oito anos, e vai continuar mudando com a vitória da nossa candidata nas eleições.

As mentiras, as injúrias e as calúnias são armas de quem não quer, ou não tem preparo, para o debate democrático de idéias e de propostas. Não desceremos a este nível. Afirmo que tomarei as providências judiciais cabíveis a fim de resguardar a minha honra e a minha história de militância e de luta pelos direitos democráticos neste País.

Fernando Pimentel
23 de Julho de 2010

Serra prega o terror

O fracasso subiu definitivamente à cabeça do candidato do atraso e trouxe à luz do dia suas reais intenções e propostas. Serra defende uma sociedade onde caiba aos acusados provarem sua inocência, onde políticos fascistóides como ele distribuam injúrias e calúnias aos adversários e a mídia, e até a justiça, exijam das vítimas uma prova negativa, uma prova de que não fizeram algo.
Se aplicada a ele mesmo caberia a nós exigirmos provas de que o PSDB, Serra incluído, não recebeu milhões de dólares da Alstom como diz a justiça francesa, caberia ao PSDB provar que o assalto em escala industrial aos cofres públicos do Distrito Federal, realizado pelo DEM e amigos, não era para financiar a campanha Serra/Arruda, que as milhares de assinaturas de revistas e jornais dos Civita, Frias e Mesquita não são o pagamento pelo jornalismo de esgoto praticado por esses quadrilheiros que escondem deliberadamente tudo que o Füehrer da Mooca faz e deixa de fazer.
esquerdopata

Clóvis Rossi é um ignorante e irresponsável, diz Sindifisco

Do Sindicato dos Auditores-Fiscais da Receita Federal

Nesta quinta-feira (22/7), o jornalista da Folha de São Paulo, Clóvis Rossi (ao lado), publicou um artigo intitulado "O risco do fiscal da esquina" em que conclui de maneira equivocada que "funcionários do Estado sentem-se à vontade para agir sordidamente". A afirmação do colunista se refere à suposta quebra de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira.

O jornalismo está doente

Por José Coelho Sobrinho em 20/7/2010

Há um texto que trata de relatos jornalísticos – cuja leitura deveria ser mais difundida entre os profissionais e estudantes da área – que, ao referir-se à narrativa jornalística, afirma que a ela “faz falta o juízo, a mais exímia qualidade do intelecto, para que, por meio dele, as coisas dignas de crédito sejam separadas dos rumores infundados que se fazem correr: as leves suspeitas e as coisas e ações diárias sejam separadas das coisas públicas e daquelas que merecem ser contadas.

Como desmascarar o PIG

A repercussão que teve a proposta do Movimento dos Sem Mídia de denunciar à Justiça Eleitoral um dos tradicionais processos de campanha eleitoral ilegal que a grande imprensa brasileira costuma desenvolver para os políticos de sua preferência a cada ano eleitoral desde sempre neste país, nos obriga a ir em frente.
A teoria do MSM é a seguinte: a grande imprensa escrita, televisada e radiofônica, maiormente representada pelos grupos empresariais Folha, Estado, Globo e Abril, com seus tentáculos espalhados por todo o país, está promovendo, mais uma vez, uma enxurrada de noticiário em favor da candidatura José Serra e contra a candidatura Dilma Rousseff.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Abro meu voto....





Entrevista de Dilma no R7

Cuuuuuuuu-reau



Procuradora Sandra Curua ensina a pronunciar seu nome:

CUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU-REAU


Brasil mostra tua cara

Conclusões inteligentes

Costumo achar que conclusões são sempre precipitadas e, consequetemente, quase nunca fruto de pensamentos acertados. O bom mesmo é nunca concluir nada e sempre se permitir mudar conforme a maré vai levando e o conhecimento vai chegando.
Mas eis que nos últimos tempos cheguei a algumas conclusões que serão de muita valia em minha vida:
- Não tome para si a briga alheia.
- Não se desgaste por quem nunca fará o mesmo por você.
- Não valorize demais quem nunca fez isso por você.

Pode parecer tudo muito egoísta, mas eu garanto que essas três medidas podem evitar úlcera, depressão, rugas, cabelo branco e até inimizades.

E tenho dito!

Pesquisa diz que mulheres atingem auge da beleza aos 31 anos

Do portal MSN

A mulher atinge o auge de sua beleza aos 31 anos. É o que diz uma pesquisa realizada pelo canal de compras americano "QVC" divulgada na segunda-feira, 19. Segundo os realizadores do estudo, as próprias mulheres disseram que, com o passar do tempo, foram perdendo as inseguranças e se sentindo mais bonitas.

Ainda de acordo com a pesquisa, 63% das entrevistadas concordam que a idade melhora a beleza e que, quanto mais velha a mulher menos ela se importa com o que as outras pessoas pensam. 

=====

Agora vocês me aguardem daqui a um ano. hahahahahahahahahahahah (risada dibólica!)

Albert King - Blues Power

Curpa dos crente

Scorpions - Still Loving You

Se há amor, não há apego



O apego, a qualquer coisa que seja, demonstra desconfiança. Se você ama uma mulher ou um homem e se apega, isso só mostra que não confia. Se você ama uma mulher e pergunta: "Amanhã você ainda me amará ou não?", é porque não confia.

Se você vai ao cartório para se casar, é porque não confia. Confia mais no cartório, na polícia, na lei do que no amor. Se essa mulher ou esse homem tentar enganá-lo amanhã, ou deixá-lo na mão, você poderá obter apoio da justiça ou da polícia, e a lei estará do seu lado, e toda a sociedade o apoiará.

Você está tomando providências porque tem medo. Mas, se ama de verdade, o amor basta, é mais que suficiente. Quem liga para o amanhã? Mas, no fundo, há dúvida. Mesmo quando você acha que está apaixonado, a dúvida continua.

Dizem que, quando Jesus ressuscitou após a crucificação, a primeira pessoa que o viu vivo foi Maria Madalena. Ela o amava imensamente. Correu em direção a ele. O Novo Testamento narra que Jesus disse: "Não me toque".

Tenho minhas desconfianças de que ele realmente tenha dito isso. Não parece certo. Alguma coisa está errada aí. Claro que o papa pode dizer: "Não me toque", mas Jesus... é quase impossível.

Por isso , tentei pesquisar o original. No texto original em grego, a palavra pode significar tocar ou apegar-se. Encontrei a chave. Jesus disse: "Não se apegue a mim", mas os tradutores interpretaram como "Não me toque". O intérprete usou a própria mente para a tradução.

Jesus deve ter dito "Não se apegue a mim", porque, se existe confiança, não há apego; se há amor, não há apego. Você simplesmente partilha, sem se apegar; partilha em profundo relaxamento.

Osho, em "A Música Mais Antiga do Universo"
By: Palavras de Osho, via Comtezxtolivre

Bispo Néscio não sabe o que é um Estado laico





Diocese de Guarulhos publicou em seu site um texto do Bispo Dom Luiz Gonzaga Bergonzinipedindo aos fiéis que não votem na presidenciável petista Dilma Rousseff. O motivo: o PT teria se posicionado a favor da legalização do aborto em seu Plano Nacional de Direitos Humanos.
- Recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam” – afirma o Bispo no texto.
Dom Luiz defende que a Igreja não deve fazer campanha para qualquer partido ou candidato, mas alega que tem a “missão de zelar para que o que é de ‘Deus’ não seja manipulado ou usurpado por ‘César’ e vice-versa”.
By: iG

A grande imprensa e o nascimento do novo

Se a imprensa tradicional está desfigurada, reduzida à condição de boletim de campanha, com fanfarras eleitorais semeadas em praticamente todas as páginas, um fazer jornalístico alternativo, próprio dos que resistem , ameaça a sua até então granítica hegemonia.

Em pleno ano eleitoral de 2002, o governo submergia em sérios escândalos na área econômica. O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, e o diretor de Política Monetária da mesma instituição, Luiz Fernando Figueiredo, eram acusados pelo presidente interino da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de fazer lobby em favor das empresas de telefonia.

Aliados de Quércia em SP, abandonam Serra e lançam dobradinha Dilma/ Quércia

    Tales Faria, Ig

“Em política tudo tem jeito.

Lembra da briga entre Orestes Quércia e Michel Temer no PMDB de São Paulo?

Todos achavam que chegara a um ponto insolúvel: Quércia candidato ao Senado na chapa do PSDB de José Serra, e Temer como vice da petista Dilma Rousseff.

Não é mesmo?

Mas eis que surge a magia da política.
E os diretórios municipais do PMDB de São Paulo foram encontrando a solução:

Apoiam Quercia para senador e a chapa Michel-Dilma para o Planalto, como mostra o informativo do diretório de Sorocaba, ao lado (os círculos vermelhos são da coluna)

E cristianizam José Serra.”
Brasil Brasil

A túnica cândida e a ficha limpa

Por Mauro Santayana


É da chamada erudição de almanaque lembrar que o vocábulo candidato procede da túnica alva que os pretendentes aos cargos eletivos romanos usavam em suas campanhas.

"Área política" do Demo aprova candidatura de estelionatário em SP

Cadeia vira comitê eleitoral de candidato DEMo
Dono declarado do sexto maior patrimônio entre os candidatos a deputado federal nas eleições deste ano, Selmo Santos (DEM-SP) registrou sua candidatura de dentro da cadeia.
O postulante a uma vaga na Câmara está preso preventivamente por estelionato desde 27 de janeiro no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, em São Paulo.

Serra corre do debate



Vocês viram o Serra, os jornalistas atucanados, o Da Costa e toda a turma dizendo que Dilma fugiu dos debates porque faltou à tal “sabatina” da Folha por problemas de agenda em razão de seus compromissos com chefes de Estado na Europa. A “onda” de chamar Dilma de fujona ia começar, com este tal de debate “online” – não sei o que vem a ser isso, será um chat room? – mas michou, porque Serra também não ia.
É isso. Se Dilma não pode ir, é fujona. Se o Serra não vai, é porque é um homem ocupado… Bacana, né?
tijolaço

Serra diz que o vice não disse o que disse. Não?



Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler, cunhou a máxima de que uma mentira contada mil vezes torna-se verdade. Parece que o candidato tucano José Serra vem se guiando por essa cartilha ao ficar repetindo que o PT tem ligações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), uma estratégia exclusiva de difamação, já que o eleitorado de direita que se comove com esse discurso já lhe pertence.
Mas a repetição exaustiva da mentira também tem a intenção de criar uma nova “verdade”. A de que o seu vice não disse o que disse. Está lá, gravado no vídeo que o site do PSDB levou ao ar o Da Costa afirmando com todas as letras que o “PT é ligado ao narcotráfico”. E o que disse Serra hoje em entrevista à rádio Guaíba, de Porto Alegre: “O Índio não disse que o PT faz narcotráfico. Isso, o Índio nunca pensou e nem eu.”
No vídeo aí de cima vocẽ pode ver de novo o que i Da Costa disse e ouvir o Serra dizendo que seu vice não disse o que disse.
Serra tenta aliviar a barra de seu vice, que responde na Justiça pelo que afirmou, mas continua a jogar lenha na fogueira, afirmando que o que Da Costa falou “foi uma banalidade, de que o PT é ligado às Farc”. Serra foi além, reiterando o seu vice: “Tem evidências abundantes do que são as Farc. São sequestradores, cortam cabeças de gente, são terroristas. Fazem narcotráfico. Curiosamente, ninguém do PT veio…Estão devendo essa explicação, inclusive a Dilma, para dizer que eles não têm nada com as Farc, quando na verdade é a vinculação com forças terroristas que fazem narcotráfico e mandam drogas para o Brasil.”
Assim como ensinou Goebbels, o factóide precisa ser repetido muitas vezes para se tornar verdade. O PT também precisa processar Serra para que ele responda judicialmente pelo que diz e repete insistentemente. Essa campanha difamatória não pode ficar barato pelo bem da democracia brasileira.
tijolaço