sábado, 19 de fevereiro de 2011

Manual da Imprensa Golpista

Jovem estudante de jornalismo, não se iluda: a profissão que abraçará, à diferença de todas as outras neste país em processo de euforia econômica, oferece muito poucos bons empregos – entendam-se empregos em empresas que ofereçam perspectivas de ascensão profissional e econômica.
E os poucos empregos promissores que existem, nem são tão bons porque obrigarão o jornalista neófito a violar os princípios éticos que lhe forem ensinados na universidade e a própria dignidade, tendo que curvar a espinha a cada edição do veículo em que for trabalhar. E em qualquer vertente do jornalismo da grande imprensa.
Essa situação se deve à concentração da propriedade de meios de comunicação, à propriedade cruzada desses meios e dos critérios políticos para entrega de concessões públicas de rádio e tevê a algumas poucas famílias que controlam toda a grande mídia brasileira.

TANGOSOCIALCLUB : ORCHESTRA EL ARRANQUE

Dois minutos antes do desastre

O que há em comum entre as ditaduras árabes e os governos paulistas do PSDB?




Egito
Argélia
Bahrein
São Paulo
São Paulo
São Paulo
As semelhanças não ficam apenas no autoritarismo e na brutalidade policial, há também a corrupção generalizada, as relações promíscuas com a imprensa, o elitismo, as políticas excludentes, e a sede de perpetuação no poder.

By: Blog do Cappacete

A Lei de Gérson continua trancando a pauta

O estigma de Gérson
Em meados da década de 70, o lema publicitário “gosto de levar vantagem em tudo” liquidou com a honra de Gérson, brilhante canhotinha de ouro e meia-armador da seleção brasileira. O erro letal do anúncio dos cigarros Vila Rica era o de vangloriar a malandragem.
Vista hoje, a citação soa quase infantil, impossibilitando de causar qualquer efeito e muito menos indignação; até porque a malandragem virou norma e tem seu código próprio.

Globo e Estadão mentem de forma ridícula para atacar Lula

Os velhos jornalões "O Globo" e "Estadão" continuam em sua cruzada para tentar derrubar a popularidade de Lula, mesmo depois que ele deixou a presidência.

Nunca antes na história deste país, os jornais chegaram ao ridículo de escalarem uma reportagem para espionar a hospedagem de um ex-presidente em um hotel.
Mas sequer reportagem fizeram. Inventaram uma mentira despudorada. Os jornalões já começaram mentindo descaradamente ao dizer que a menor diária no hotel é R$ 2.785,00.
Basta uma rápida consulta na internet para desmentir o jornalão:
Existem diárias de R$ 695,00 (BRL é a sigla da moeda Reais brasileiros).
É um valor alto para o poder aquisitivo da maioria dos brasileiros, mas hotéis no Rio são mesmo caros nesta época de verão. Os mais baratos nos principais bairros da orla são próximos a R$ 300,00.
Além disso os jornalões especularam, ao não saber como se deu esta hospedagem. Ninguém sabe (e nem é da conta do jornal) se o PT ou algum instituto ligado à Lula, tem algum convênio com o hotel (coisa normal feita para empresas), com diárias mais baixas.
Também não é de se estranhar se o hotel tiver convidado o ex-presidente, sem cobrar dele. Lula, devido a sua boa reputação nacional e internacional, dá muito mais prestígio e traz publicidade de graça ao hotel, do que o valor de muitas e muitas diárias. É comum alguns hotéis convidarem pessoas famosas, em troco de visibilidade no noticiário, uma forma de propaganda de graça. Até Big-brother, ou participantes do programa "O Aprendiz" ganham como prêmio passeios, com hospedagem em hotéis, em troca do hotel aparecer na TV.
Além disso, todo o setor turístico do Rio é eternamente grato à Lula pelo empenho na conquista da Copa do Mundo e das Olimpíadas, com todos os ganhos que traz para a rede hoteleira.
Por fim, Lula só passa 2 pernoites no Rio, então sequer está fora do poder aquisitivo dele (assim como está acessível a muitas pessoas de classe média com bons salários). Não há razão para esse patrulhamento imbecil, a não ser o velho preconceito dos jornalões de acharem o povo o bobo. Mas bobos são eles ao pensarem que o povo acha que Lula teria que voltar à vida de retirante da seca após sair da presidência.
Aliás, nunca vi o Globo, o Estadão e companhia, se interessarem pelo hotel, nem pelo custo da diária, dos lugares onde se hospeda o ex-presidente FHC em Genebra, em Madri, em Nova York, Barcelona, em Paris... opsss... em Paris o ex-presidente tucano é o feliz proprietário de um apartamento próprio na Av. Foch, endereço acessível apenas a milionários ou ditadores e governantes corruptos.
By: Os Amigos do Presidente Lula

Não confie nos seus amigos!

16/02/2011


Entendeu por que?..
Humor do Nerd

DNA de negros e pardos do Brasil é muito europeu

DNA de negros e pardos do Brasil é muito europeu

Estudo diz que cerca de 70% da herança genética nacional vem da Europa
Variação de região para região do país é baixa; cor da pele tem elo com poucos genes e, por isso, é parâmetro enganoso
No Brasil, faz cada vez menos sentido considerar que brancos têm origem europeia e negros são "africanos". Segundo um novo estudo, mesmo quem se diz "preto" ou "pardo" nos censos nacionais traz forte contribuição da Europa em seu DNA.
O trabalho, coordenado por Sérgio Danilo Pena, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), indica ainda que, apesar das diferenças regionais, a ancestralidade dos brasileiros acaba sendo relativamente uniforme.
"A grande mensagem do trabalho é que [geneticamente] o Brasil é bem mais homogêneo do que se esperava", disse Pena à Folha.
De Belém (PA) a Porto Alegre, a ascendência europeia nunca é inferior, em média, a 60%, nem ultrapassa os 80%. Há doses mais ou menos generosas de sangue africano, enquanto a menor contribuição é a indígena, só ultrapassando os 10% na região Norte do Brasil.
Quase mil
Além de moradores das capitais paraense e gaúcha, foram estudadas também populações de Ilhéus (BA) e Fortaleza (compondo a amostra nordestina), Rio de Janeiro (correspondendo ao Sudeste) e Joinville (segunda amostra da região Sul).

Para a ONU um exemplo, para os demotucanos é esmola

Bolsa Família: PSDB-DEM chamam de Bolsa-Esmola


Bolsa Família é apontada como exemplo de política de previdência social em reunião da ONU
O Bolsa Família foi citado numa reunião da ONU, nesta segunda-feira, como "um exemplo de mecanismo bem-sucedido" de assistência social. O programa foi mencionado num debate, em Nova York, sobre a criação de uma espécie "de piso de proteção social" que possa garantir segurança alimentar, serviços de saúde a todos e a aposentados idosos.
O exemplo do Bolsa Família foi destacado pelo diretor do Departamento de Previdência Social da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Michael Cichon disse que a previdência social é um direito humano.
Segundo Cichon, apenas 20% da população tem acesso à assistência. Para ele, falta vontade política para implementar iniciativas que necessitam um mínimo de investimento.
Sistemas de segurança
O representante da OIT disse que se trata de um "escândalo, uma vez que são precisos apenas 2% do Produto Interno Bruto (PIB) global para promover sistemas de segurança para todos os pobres do mundo".
Michael Cichon destacou o Bolsa Família como um exemplo de programas que "não custam quase nada"e fazem grande diferença na redução da pobreza e das desigualdades. Ele ressaltou que o programa custa apenas 0,5% do PIB brasileiro e alcança 25% da população.
Cichon alertou que quem pagará a conta dos cortes de gastos públicos decorrentes da crise econômica global serão os idosos, as pessoas com deficiências e os pobres.

blog do CelsoJardim










Votação do mínimo desmoralizou oposição a Dilma, dizem analistas

“Viva a luta dos trabalhadores”, bradou o líder do Democratas, ACM Neto (BA), ao concluir sua defesa por um salário mínimo de R$ 560. Seu colega no PSDB, Duarte Nogueira (SP), desfilou pelo plenário na quarta-feira (16) com um adesivo: “Salário de R$ 600 é viável”. Derrotados pelos governistas por ampla margem, os oposicionistas também perderam a bandeira da responsabilidade fiscal, dizem analistas ouvidos pelo UOL Notícias.
A decisão da Câmara será submetida aos senadores na quarta-feira que vem (23). Se não sofrer mudanças, o texto segue para a aprovação da presidente Dilma Rousseff. O líder do PSDB no Senado, o senador Álvaro Dias (PR), já adiantou que o partido repetirá a estratégia adotada na Câmara e vai propor salário mínimo de R$ 600 neste ano. Dessa vez, porém, os tucanos pedirão o apoio do DEM na proposta.
“Vão repetir o erro então?”, disse o cientista político David Fleischer, professor da UnB (Universidade de Brasília). “A vantagem do governo não é imutável, mas foi um recado muito forte. Refletiu também a falta de proposta de uma oposição que aprovou a Lei de Responsabilidade Fiscal no governo Fernando Henrique Cardoso. Falta proposta e falta clareza no que querem o PSDB e o DEM, antecipando o combate para já.”
O reajuste aprovado na quarta-feira (16) derrotou duas propostas da oposição e manteve o salário mínimo conforme desejava o Palácio do Planalto: R$ 545 neste ano. A emenda do Democratas, com sugestão de salário de R$ 560, teve apoio até de governistas do PDT e do próprio PT de Dilma. Ainda assim, o governo teve 361 votos para derrotar os adversários – a expectativa inicial era de aprovação do valor com cerca de 300 votos.
Para Amaury de Souza, da consultoria MCM, a oposição fez “papelão” ao defender um aumento superior a R$ 545. “Fica até ridículo um parlamentar do DEM, que não tem base entre os trabalhadores, fazer o discurso do PT de dez anos atrás. Vai fazer o que agora? Voltar para defender a austeridade, o corte de gastos excessivos? A votação do salário mínimo prejudicou qualquer defesa nesse sentido vinda da oposição.”
Um dos principais defensores do salário de R$ 600, o candidato derrotado à Presidência José Serra (PSDB) insistiu durante a campanha que o país provavelmente precisaria cortar gastos mal feitos. Seu sucessor no governo paulista, Geraldo Alckmin, evitou se comprometer com a sugestão do colega de partido. “Cada Estado tem sua realidade e o salário mínimo nacional é tarefa do governo federal”, limitou-se a dizer.
Divididos nos bastidores
O texto aprovado na Câmara dos Deputados deve aumentar em R$ 8,5 bilhões por ano o gasto público, pesando sobre as contas da Previdência. Prefeituras de todo o país, inclusive muitas comandadas por oposicionistas, trabalharam para evitar um reajuste ainda maior. A CNM (Confederação Nacional dos Municípios) indicou que o impacto sobre as cidades poderia ser de R$ 38 milhões em cada R$ 1 de aumento.

 

A Confederação afirma que a elevação para R$ 545 já tem um impacto de R$ 1,3 bilhão nas contas das prefeituras em 2011. Caso o valor fosse de R$ 560, os municípios teriam um gasto de quase R$ 1,9 bilhão, diz a entidade. Se o Senado aprovar um mínimo de R$ 600, como defende o PSDB, a despesa extra das prefeituras seria de R$ 3,4 bilhões. Ainda assim, tucanos no Congresso veem espaço para um reajuste maior no salário.
“Talvez eles não repitam o erro se notarem o que aconteceu com os governistas do PDT, que são ligados ao sindicalismo e que apoiavam a proposta da oposição”, disse Fleischer, da UnB. “O presidente da Força Sindical [deputado Paulo Pereira da Silva] perdeu a força. Dos 26 deputados pedetistas, 16 votaram contra ele. Isso pode fortalecer a CUT ainda mais e duvido ver senadores os senadores do DEM interessados nisso”, disse. “Seria a desmoralização final.”

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Usuários de crack ficam mais tempo presos do que em tratamento

Usuários de crack ficam mais tempo presos do que em tratamento

por Conceição Lemes

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje um projeto ambicioso: a implantação de  49 Centros Regionais de Referência em crack e outras drogas (clique aqui) nas universidades federais das cinco regiões brasileiras.
Três detalhes me  chamaram a atenção.
Primeiro: a capacitação de 14.700 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, que atuarão do aconselhamento motivacional e tratamento à reinserção social dos usuários. Evidência clara de que serão encarados como pessoas com problema de saúde, que precisam de ajuda.
Segundo:  a presença dos ministros Alexandre Padilha, Fernando Haddad e José Eduardo Cardoso, sinalizando que, para a presidenta Dilma, o combate ao crack e outras drogas envolve Saúde, Educação e Justiça, e que as três terão de trabalhar em conjunto, para se vencer esse desafio.
Terceiro: Os 49 Centros de Referência serão do Sistema Único de Saúde (SUS). A propósito: os médicos que atuam no SUS, inclusive no Programa Saúde da Família, também terão curso de aperfeiçoamento para lidar com usuários de drogas.
*****
20:08
17/02/2011
Pesquisa mostra que viciafos em crack ficam mais tempo presos do que em tratamento
São Paulo – Um estudo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), inédito na literatura médica internacional, mostra que os usuários de crack ficam mais tempo presos do que em tratamento contra a droga. A pesquisa, que acompanhou, por 12 anos, 107 dependentes, indica que, nesse período, em média, os usuários ficaram presos por um ano e oito meses, e permaneceram em tratamento, em média, por três meses.
“Os usuários passaram mais tempo presos do que em tratamento, o que nos faz questionar a política repressiva voltada para os usuários da droga, quando a questão deveria ser tratada como um problema de saúde pública”, afirma a pesquisadora da Unifesp, Andréa Costa Dias, coordenadora e responsável pelo estudo.
A pesquisa verificou que, após 12 anos, 29% dos usuários estudados estavam abstinentes, sem usar a droga há cinco anos ou mais; 20% relataram períodos de consumo alternados com períodos de abstinência; e 13% mantiveram o consumo de crack por mais de uma década, com uso mais controlado e em menores quantidades e frequência.
Dos 107 pacientes acompanhados, após o período de análise, dois estavam desaparecidos, 13 estavam presos no período da entrevista e 27 tinham morrido, sendo que 59% das mortes foram homicídios. Apesar do alto índice de violência relacionado ao uso da droga, o estudo detectou que os dependentes têm conseguido, com o tempo, evitar situações de risco.
“É claro que existe todo um contexto de risco e violência em torno do crack, mas o usuário que foi aprendendo, aos poucos, a se adaptar a esse contexto, a não se colocar tanto em risco, seja em risco de overdose como em risco de se envolver em situações de violência, como brigas entre companheiros de consumo ou conflito com a polícia ou mesmo contraindo dívida de droga”, explica a pesquisadora.
Dos pacientes acompanhados, 88,5% eram homens e 11,5% mulheres. Dentre eles, 63,3% tinham idade entre 15 e 24 anos. Os solteiros integravam a maioria (67%) da amostra e 27% deles eram casados.
A pesquisa mostra ainda que há fatores comuns que fizeram com que dependentes conseguissem se afastar do consumo do crack. A procura por tratamento, a religião e a inserção no mercado de trabalho ajudaram, de modo geral, os usuários a se distanciarem da droga.
“Foram importantes também ‘pontos de virada’, como entrar em uma faculdade, a gravidez, encontrar uma namorada ou se casar, enfim, situações que, para aquela pessoa, foram significativas o suficiente para que ela, então, conseguisse ir se desprendendo do consumo”, explica Andréa Costa.
Edição: Lana Cristina

O feitiço de Dilma Rousseff

Quem diria. O dito “poste” da campanha eleitoral de 2010 vai se revelando uma estrategista política tão astuta que operou um milagre. Inauguramos, no Brasil, a feitiçaria política. Dilma Rousseff está presidindo o primeiro governo federal petista que, após um mês e meio de existência, não tem sido alvo de bombardeio midiático. Muito pelo contrário, Dilma tem recebido elogios e sido apresentada como vítima de uma absurda “herança maldita” deixada por Lula.
Em 2007, na aurora do segundo governo Lula, um mês e meio após a posse, o “caos aéreo” já fustigava o governo federal em manchetes bombásticas da grande imprensa. Em 2003, no primeiro mandato, o ex-presidente mal começara a governar e já era alvo de acusações da mídia de que o caos econômico do último ano de FHC – apenas mais intenso que nos três anos anteriores – era culpa sua.

Terranautas exploram caverna de cristais a 300 metros de profundidade

Existem alguns lugares na Terra que apresentam características tão severas que sua exploração exige cuidados tão grandes quanto os passeios espaciais. Alguns locais são tão profundos que a sensação térmica ultrapassa 100 graus Celsius e para atingi-los é necessário descer a mais de 300 metros abaixo da terra. Um desses locais são as Cavernas dos Cristais Gigantes, exploradas apenas pelos terranautas.

As Cavernas se localizam próximo à cidade de Naica, no México e foram descobertas acidentalmente no ano 2000 por mineradores que trabalhavam na extração de prata da região. Em seu interior se encontram os maiores blocos de cristais existentes no mundo, alguns com mais de 11 metros de comprimento e 55 toneladas de peso.
As Cavernas se encontram a mais de 300 metros de profundidade e para chegar até lá são necessários uniformes especiais, capazes de suportar o intenso calor. Ali, a temperatura do ar é maior que 55 graus Celsius e a umidade ultrapassa 90%, fazendo a sensação térmica ultrapassar a temperatura da água em ebulição. As Cavernas dos Cristais Gigantes são um dos locais mais extremos do planeta.
Magma
O intenso calor no interior da caverna é produzido pela proximidade de uma câmara de magma incandescente localizada alguns quilômetros abaixo do local. Entrar ali sem uma proteção especial pode ser fatal em menos de 15 minutos, o que torna obrigatório o uso de trajes similares aos usados pelos astronautas. Mesmo com a proteção térmica, o terranautas - como são chamados os exploradores - só podem permanecer no interior da caverna por no máximo 45 minutos.
"Não estamos no espaço exterior, mas no espaço interior", disse o explorador George Kourounis, que participou da expedição às Cavernas dos Cristais Gigantes entre 3 e 6 de setembro de 2009.
Exploradores
Kourounis é um dos mais ativos exploradores científicos do mundo e seus trabalhos são amplamente veiculados em canais especializados como Discovery Channel, National Geographic, BBC, entre outros. O explorador também conhecido como "Caçador de Tempestades", por organizar expedições em busca de tornados.
"Para sobreviver nas cavernas tivemos que levar equipamento extra de refrigeração dentro de uma mochila", disse Kourounis. "Até os equipamentos eletrônicos precisaram ser aclimatados para funcionarem adequadamente. É um lugar realmente extremo, mas a beleza é incomparável", disse o explorador.
Cristais
Os cristais do interior das cavernas são formados de selenita, uma espécie de gesso cristalizado amplamente usado na fabricação do vidro ou como aditivo para solos pobres. Algumas peças cresceram ali durante meio milhão de anos, em uma solução de água quente saturada de minerais e durante todo esse tempo a temperatura da água permaneceu praticamente constante, aquecida pela câmara vulcânica abaixo das cavernas.
Fotos: As Cavernas dos Cristais Gigantes se localizam a 300 metros de profundidade. A temperatura do local é mantida elevada devido a existência de uma câmara de magma incandescente situada abaixo do local. As fotos mostram três momentos diferentes da expedição. No topo, os exploradores George Kourounis e Nik Halik caminham no interior de uma das cavernas. Na sequência, cinegrafista faz uma panorâmica do local, com os dois exploradores ao fundo. Acima, Kourounis se apóia sobre um bloco gigante de cristal. 
Créditos: George Kourounis/The Stormchaser.
By: Apolo11

Na hora do aperto: caixa eletrônico

E os brasileiros ainda pensam que bebem muito...



No gráfico acima, da World Health Organization (Organização Mundial da Saúde), a média de consumo anual de álcool per capita em litros, por ano, na primeira metade da década passada. O Brasil fica ali, em rosa, entre 7,5 e 9,9 litros. Já no Leste europeu e na maior parte da Europa, o consumo chega a (ou passa de) 12,5 litros. Como reza a sabedoria futebolística, "treino é treino, jogo é jogo"...
Futepoca

Dilma diz que investimentos em universidades federais serão fundamentais no enfrentamento ao crack

Pedro Peduzzi, Agência Brasil

“Os investimentos feitos pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas universidades federais e, em especial, no corpo docente dessas entidades foram apontados hoje (17) pela presidenta Dilma Rousseff como fundamentais para o enfrentamento ao crack. A avaliação foi feita na abertura do seminário sobre a implantação dos centros regionais de Referência em Crack e Outras Drogas.

“Essa é uma droga que apresenta o desafio de não ter, no plano mundial, um acervo de conhecimento e acúmulo de metodologia de tratamento”, disse Dilma Rousseff, dirigindo-se aos representantes de 46 instituições federais de ensino superior responsáveis pelos 49 projetos que capacitarão mais de 14 mil pessoas para atuar na área.

Por esse motivo, acrescentou a presidenta, “a valorização dada pelo governo Lula às universidades federais contribui para essa devolução que os senhores podem fazer à sociedade brasileira. A participação [das universidades federais] é estratégica para o pioneirismo desses centros de referência”, disse ela, que ressaltou a importância dessas instituições para a capacitação de pessoal e para a definição de políticas de reinserção.

“Precisamos formar profissionais. Sabemos que essa é uma droga que tem uma capacidade de propagação muito elevada e que, atrás do eixo da prevenção, pelo qual precisamos impedir que mais pessoas sejam vítimas do crack, são necessárias intervenções visando tratamentos, clínicas e enfermarias especializadas, além de políticas de reinserção”, afirmou.

“Voces estão em um lugar privilegiado, que estrutura as condições de enfrentamento da droga, para compreender e entender seus mecanismos. Atrelar todas as variáveis dos diferentes saberes nesse projeto vai ser uma das maiores armas nesse enfrentamento”, disse a presidenta. “Espero que voces decifrem para que a gente possa, em termos sociais, desenvolver o projeto”, completou.

Dilma reiterou o papel relevante da Polícia Federal (PF) nas ações do governo contra as drogas. “Tudo passa também por um processo de combate ao crime organizado. A PF será reforçada para esse combate sem quartel, porque a entrada se dá pelas fronteiras e pela estrutura de distribuição do crime organizado.”

Charge do Bessinha

Dilma quer participação popular na reforma política

Agência Brasil

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em audiência hoje (17), com a presidenta da República Dilma Rousseff, defendeu que seja feita uma reforma política no Brasil com a participação efetiva da população. O presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, entregou à Dilma um documento com a posição da Igreja Católica sobre o assunto.

“Nós entregamos nosso documento sobre a reforma do Estado com a participação democrática. Ela [a presidenta Dilma] demonstrou interesse e também disse que vai contar com a participação da CNBB, junto com as outras entidades da sociedade civil, nessa discussão”, disse dom Geraldo, ao deixar o Palácio do Planalto.

Dom Geraldo considerou que a reforma política não pode ser feita “nos gabinetes” e que deve levar em consideração a vontade do povo. A CNBB foi uma das apoiadoras da proposta de iniciativa popular da Ficha Limpa, que exige dos pretendentes a cargos públicos idoneidade perante a Justiça.

Na reunião com a presidenta, de acordo com dom Geraldo, foram debatidos também assuntos como o problema da falta de acesso à água, principalmente no Semiárido nordestino. A proposta é estabelecer uma parceria para a construção de 1 milhão de cisternas para famílias carentes de água.

Os representantes da CNBB também pediram à presidenta que a entidade seja ouvida em relação à reforma agrária e ao Código Florestal. Além disso, a CNBB pediu a Dilma maior atenção com as populações indígenas e remanescentes de quilombos. “São necessária ações, principalmente nas áreas de saúde. Há também uma necessidade de fiscalização dos recursos empregados. Observamos que nem sempre os recursos chegam ao seu destino”, ressaltou.”

Estréia da Virgem nos EUA

Nota: Um caso bem sucedido de globalização da superstição.
By: Diário Ateísta

O PIG dança


by Sátiro

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Bondade e Sabedoria devem ser Inocentes

"Quando a bondade se mostra abertamente já não é bondade, embora possa ainda ser útil como caridade organizada ou como acto de solidariedade. Daí: «Não dês as tuas esmolas diante dos homens, para seres visto por eles». A bondade só pode existir quando não é percebida, nem mesmo por aquele que a faz; quem quer que se veja a si mesmo no acto de fazer uma boa obra deixa de ser bom; será, no máximo, um membro útil da sociedade ou zeloso membro de uma igreja. Daí: «Que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita.»


(...) O amor à sabedoria e o amor à bondade, que se resolvem nas actividades de filosofar e de praticar boas acções, têm em comum o facto de que cessam imediatamente - cancelam-se, por assim dizer - sempre que se presume que o homem pode ser sábio ou ser bom. Sempre houve tentativas de dar vida ao que jamais pode sobreviver ao momento fugaz do próprio acto, e todas elas levaram ao absurdo." 
Hannah Arendt, in 'A Condição Humana'